Aquela Nuvem e Outras - Eugénio de Andrade

Aquela Nuvem e Outras - Eugénio de Andrade

«O que ele ignorava sabê-mo-lo nós de sobra: a simples matéria sonora - rimas, aliterações, reiterações, estribilhos, consonâncias - é fonte de sedução e razão de encantamento desde que o homem se demorou, pela primeira vez, a escutar o vento entre os ramos. Ao escrever estes versos, procurei abrir os ouvidos da alma às vozes que encheram os dias já distantes da minha infância. (...)» Eugénio de Andrade, Setembro de 1986